terça-feira, março 14

É por estas e por outras!

O ano passado quando fiz anos armei-me em dondoca e fui fazer uma daquelas massagens maricas, de corpo inteiro, com direito a esfoliação, vapor, hidratação profunda, massagem total, com limpeza facial pelo meio e tudo. Uma hora e meia de relax total. Uma daquelas mariquices que eu até faria muito mais vezes, não fosse o preço estúpido que elas custam. Ora quando entrei, despi-me e deitei-me à espera da menina. Ela entrou, começou a massagem, e quando passou para o tronco começou por perguntar se as mamas também iam fazer parte da massagem ou não. Eu disse que sim (claro!), mas fiquei a pensar se haveria mesmo gajas que pagando por uma massagem de corpo inteiro tinham tantos complexos/ problemas/ atrofios com as suas mamas, ou com o facto de estas serem tocadas numa situação daquelas que as excluíssem da massagem!
Hoje lembrei-me desta história porque estava no ginásio a fazer uma aula de pilates, que não costumo fazer, e a certa altura a professora disse-nos para fazer 8 repetições de um dos exercícios. A seguir levantou-se e disse que ia dar uma volta entre nós para ver se todos estávamos a fazer bem o exercício, e se fosse caso disso até nos poderia ter de tocar para nos corrigir. E acrescentou: - Se alguém não quiser ser tocado avise-me antes, por favor. Estas merdas não me fazem mesmo sentido, mas no caso do pilates que é daquelas modalidades que dependem totalmente de os exercícios serem feitos correctamente, ainda menos. Ó gente esquisita!

12 comentários:

PA disse...

Oh ponha, ponha, ponha!

fantasma disse...

LOL.
Eu a parte das mamas ainda percebo, agora numa aula normal de ginástica, perguntar se as pessoas têm problemas em serem tocadas?! Haja paciência :o)

Rosa disse...

Paneleirices!! ;)

papalagui disse...

lol!!!! Sabes que essas coisas são culturais.

Patrícia disse...

Sei, L. sei que sao culturais, mas e por estas e por outras que estas culturas nao me convencem;)

Joana disse...

e no meu caso e no teu que temos tanta mamoca por onde massajar...
;-)
Eu tenho o trauma contrario, a senhora brasileira que me faz a depilacao tem que ser mantida longa da minha "perereca", o sonho dela e fazer-me uma bela depilacao de biquini brasileiro.

Patrícia disse...

lol!!!
xo daqui, xo!

Alexandra disse...

Nao e' nada cultural! E' medo de serem processados por assedio!

Nos States tambem funciona tudo assim.

Vik disse...

Como será que os médicos fazem? Será que dizem:
- Vou ter de o operar para lhe extrair o baço, mas, provavelmente, isso vai implicar que eu lhe toque.-
- Aí doutor, não tenho alternativa? Gostava de ouvir uma segunda opinião.-
- Bom, a alternativa é você operar-se a si próprio e eu ir dando as instruções.-

Patrícia disse...

É mais ou menos isso, Vik! Os médicos têm de ter uma enfremeira para o caso de precisarem de observar alguém.
E não é só por causa dos processos Xana, as tipas aqui (os tipos não sei!), são muito puritanas(?), conservadoras(?), complexadas(?).

Witchie disse...

Oh, such prudes! Mas a Xana tem razão, é sobretudo por causa dos processos. Nos EUA e no UK também anda assim - as pessoas não se podem tocar sem medo de serem processadas, é horrível! Um psicólogo da minha faculdade esteve a estagiar no UK numa instituição de correcção juvenil; um dia dois putos pegaram-se à porrada e ele fez o que toda a gente de cá faria: agarrou um deles por trás, pelos braços, e afastou-o do outro. Pois... O outro puto parou imediatamente e desatou a chamar-lhe pedófilo... Raio de gente mais complexada!

lua disse...

É caso para dizer"nem tanto à terra, nem tanto ao mar", acho que è uma questão de saber ser e estar! Há pessoas que não sabem conviver com o seu corpo, por razões culturais, de educação ou outro motivo qualquer e há tambem os quidados em esagero que reultam da visibilidade que hoje em dia têm certos problemas e "nos" tornam muito mais cautelosos e por vezes "preconceituosos"!