sexta-feira, setembro 29

Ó “coisinho”.... vai dormir!!

Ontem fiquei baralhada. Muito baralhada mesmo. Na fim da “Grande Entrevista” na RTP1, com o Dr Marques Mendes veio à baila a questão do aborto. Marques Mendes afirmou (e muito bem na minha opinião!) que esta é uma questão pessoal e que as pessoas devem votar de acordo com a sua consciência, e por isso mesmo, o seu partido não iria fazer campanha por nenhum dos lados. Ora muito bem, pensei eu, não “tás” a falar mal de todo. Já ontem tinha lido no Metro que D. José Policarpo declarou que a igreja, ao contrário do que fez em 1998, não vai fazer campanha contra a despenalização do aborto, por achar que este “não é um assunto religioso”. A ser verdade, este é sem dúvida um grande primeiro passo para a igreja. E claro, mais vale tarde do que nunca!
Eu sou definitivamente a favor da despenalização. É até algo gutural em mim. Digo isto, porque quando penso nisso, as razões que considero válidas são quase todas a favor da despenalização, mas a primeira sensação cada vez penso no assunto é imediata e irracional. Porque é lógico, porque sim, porque não faz sentido de outra maneira.
Por estas mesmas razões respeito completamente as pessoas que têm opinião contrária. Por muito que as suas razões não me façam sentido, penso que este é mesmo um assunto de cada um, para o qual muitas vezes, nada do que possamos ouvir/dizer vai mudar a nossa ou outra opinião.
Mas voltemos à vaca fria. O que me deixou baralhada ontem foram as outras declarações de Marques Mendes. Quando a jornalista insistiu sobre a sua opinião (desta vez pessoal), este admitiu que votou contra a despenalização no último referendo porque acha que a lei é equilibrada,... MAS não concorda que uma mulher que fez um aborto por necessidade seja julgada por isso. Anh?!?! Não se muda a lei, mas não se julga uma mulher que o fez. Juro que não percebo!! Ignora-se a lei?!? A jornalista também não deve ter percebido porque insistiu. O Dr. Marques Mendes baralhou e voltou a dar, mas embrulhou-se e não definiu o que afinal queria dizer com a sua opinião. Ora este Sr. é presidente de um dos grandes partidos de Portugal, e ou decide simplesmente não dar a sua opinião pessoal (o que não lhe fica nada bem!), ou se a dá, é bem que saiba o que quer, porque não concorda, mas também não discorda, não serve! Não se muda a lei, mas não se leva a julgamento uma mulher que faz um aborto... eu fiquei a pensar se o que ele defende é o “vá directamente para a prisão, sem passar pela casa da partida e sem receber 2 contos”, mas sinceramente não percebi. Não se definir para tentar agradar a gregos e a troianos não serve, ó coisinho!

4 comentários:

Sofia Cavaco disse...

oh Meu Deus! vai-s la perceber estes politicos! :s

pois eu sou a favor da despenalizaçao... e tive mt pena d n ter podido votar da ultima vez (ainda so tinha 17 aninhos...:$). mas da proxima q façam referendo, eu tou la!!!

PMarques disse...

CLAP! CLAP! CLAP! Tiro-te o chapéu por este post, onde me revejo, assino e agradeço!!! :-) Tal e qual aquilo que penso!!

marília disse...

Exactamente! Cambada de hipócritas!
(se te apetecer ler, tenho um post sobre este assunto no meu blog).

clara disse...

já agora... eu sei que faço parte da fraca minoria, mas passa no meu blog a ler a minha opiniao sobre o aborto!