quarta-feira, setembro 28

Chuva Dissolvente

Entre a chuva dissolvente
No meu caminho de casa
Dou comigo na corrente
Desta gente que se arrasta
Metro, túnel, confusão
Entre suor despertino
Mergulho na solidão
No dia a dia sem destino

Putos que crescem sem se ver
Basta pô-los em frente à televisão
Hão-de um dia se esquecer
Rasgar retratos largar-me a mão
Hão-de um dia se esquecer
Como eu quando cresci
Será que ainda te lembras
Do que fizeram por ti

E o que foi feito de ti
E o que foi feito de mim
E o que foi feito de ti
Já me lembrei, já me esqueci

Quando te livrares do peso
Desse amor que não entendes
Vais sentir uma outra força
Como que uma falta imensa
E quando deres por ti
Entre a chuva dissolvente
És o pai de uma criança
No seu caminho de casa

E o que foi feito de ti
E o que foi feito de mim
E o que foi feito de ti
Já me lembrei, já me lembrei
Já me esqueci


letra: Tim
música: Xutos & Pontapés

Já ouvia uns Xutos, já sim sra!

10 comentários:

fantasma disse...

Ai os Xutos!!!!!! É o melhor post que fizeste até hoje!! ;o) (brincadeira...)
É que eu sou fã, com direito a cartãozinho do clube dos Xutos e tudo... :op

Anónimo disse...

E eu, por tua causa, vou ouvir a minha favorita de sempre:

Esta cidade

Quer eu queira quer não queira
Esta cidade
Há-de ser uma fronteira
E a verdade
Cada vez menos
Cada vez menos
Verdadeira

Quer eu queira
Quer não queira
No meio desta liberdade
Filhos da puta
Sem razão
E sem sentido
No meio da rua
Nua crua e bruta
Eu luto sempre do outro lado da luta

A polícia já tem o meu nome
Minha foto está no ficheiro
Porque eu não me rendo
porque eu não me vendo
Nem por ideais
Nem por dinheiro
E como eu sou e quero ser sempre assim
Um rio que corre sem princípio nem fim
O poder podre dos homens normais
Está a tentar dar cabo de mim
Cabo de mim



Abençoada sejas Patrícia, pelo despertar deste som :)

Melhores Cumprimentos

Francisco G.

fantasma disse...

E das novas....

Sombra Colorida

Às vezes fico deserto
Como um beco sem saída
A vida está tão perto
Passa ali na avenida
Mas prefiro ficar longe
Sem ninguém para falar
Deixo-me ficar perdido
Não querendo ter lugar
E nesses dias sozinho
Acabo por me encontrar
Nunca gosto do que vejo
Mas vou tentando emendar
Vou olhando a minha sombra
Que no muro é colorida
Acho que é essa sombra
que me faz voltar à vida

E no meio da avenida
Acabo por te encontrar
Acabou-se o beco escuro
Tudo volta ao seu lugar
Ao seu lugar


letra: Tim
música: Xutos & Pontapés

fantasma disse...

E adoro esta:

Deitar a perder

Ninguém te amou como eu
Ninguém te quis como eu
Ninguém te viu feliz como eu
Ninguém te magoou como eu, como eu

Como eu, ninguém esperou
Como eu, e acreditou
Que tudo se pode perdoar
Só à força de te amar

Sentado à beira-rio
Eu vejo-o correr
Ter a vida por um fio
Deitá-la a perder
Como eu

Como eu, ninguém esperou
Como eu, e acreditou
Que tudo se pode perdoar
Só à força de te amar
Sentir o amor escapar
Por entre os beijos fugir
Por entre as mãos escaputir
Como eu
Como eu


letra: Tim
música: Xutos & Pontapés

(Desculpem lá, não inundo mais com letras ;o))

Mãe Babada disse...

Xutos ouve-se sempre :)

Patrícia disse...

E maravilha!!!! Agora em vez de um dia...vou ficar varios a cantar Xutos!!! O pior e que a minha voz nao e la muito parecida com a do Tim!!!!!!!!
Beijas

fantasma disse...

Ó Patrícia! Tu aí não consegues ver dvd's dos nossos, pois não? É que te enviava a edição dos espectáculos dos 25 anos ao vivo....

Patrícia disse...

Ah pois consigo....que o nosso "portátel" é portuguesinho de gema!

fantasma disse...

Hum.... segue mail.... :o) (ou PM que não sei se dou com o teu mail, lol)

fantasma disse...

Já seguiu... se não receberes avisa-me!!